Como se não bastasse, a IASD publicou uma terceira nota oficial na sexta-feira passada. Na verdade, duas e meia, porque uma delas foi quase oficial e já não está mais disponível online. Com isso, lembrei-me da citação “A Bíblia é uma bigorna que tem gasto muitos martelos” (GC 288.2). A preocupação da igreja é compreensível, a saber, salvaguardar os membros de possíveis heresias; atribuamos a melhor das intenções. Aqui vão os motivos pelos quais não é necessário preocupação: “pelos frutos os conhecereis”. Qual a tendência dos ensinamentos dos produtores da Bíblia White? Santificar ou vulgarizar? Elevar a norma ou dissolver a doutrina? Exaltar a Palavra ou defender o achismo? Por mais que certos pontos de vista, que passaram a ser acariciados pela liderança no transcorrer das décadas, sejam golpeados frontalmente sem misericórdia, nenhum fundamento é ferido; pelo contrário, é afirmado.

As mudanças no texto bíblico não foram arbitrárias. O comunicado falha em mencionar que a norma de tradução, usada na Bíblia White, foi a King James Version em inglês, a versão mais utilizada pela profetisa. Não foram mudanças arbitrárias de acordo com a convicção pessoal de Daniel Silveira, mas o texto sempre foi comparado com a King James Version, a melhor versão do ocidente moderno. Sim a melhor. 

Mudanças na King James: autorizadas por Deus. É importante, porém, mencionar que não somos adeptos do movimento “King James Only”, que prega a inerrância do texto. Portanto, em três lugares, a própria profetisa diz que deve haver mudança na própria King James:

  1. Lucas 23:45 Certo: “te digo hoje, estarás comigo no paraíso”. Errado: “te digo: hoje estarás comigo no paraíso”. Assim diz o Senhor: “Em verdade te digo hoje, que serás comigo no Paraíso. Cristo não prometeu que o ladrão estaria com Ele no Paraíso naquele dia. Ele próprio não foi naquele dia para o Paraíso. Dormiu no sepulcro e, na manhã da ressurreição, disse: ‘Ainda não subi para Meu Pai’. João 20:17. Mas no dia da crucifixão, o dia da aparente derrota e treva, foi feita a promessa. ‘Hoje’, enquanto morria na cruz como malfeitor, Cristo dava ao pobre pecador a certeza: ‘Tu estarás comigo no Paraíso’” (DTN 531.1). Mas como alguns dos leitores dão mais peso à palavra de um doutor do que a da profetisa, aqui um artigo do Dr. Timm e outro do Pr. Paroschi em inglês, mostrando a validade da versão KJV “te digo hoje”.
  2. Salmo 91:11 Certo: “Para te guardarem em todos os Seus caminhos”. Errado: “Para Te guardarem em todos os teus caminhos”. EGW diz: “isto é, em todos os caminhos da escolha de Deus” (DTN 531.1).
  3. Daniel 8:12 Certo: “contínuo”. Errado: “sacrifício contínuo”. Diz a profetisa: “Vi então em relação ao ‘contínuo’ (Daniel 8:12), que a palavra ‘sacrifício’ foi suprida pela sabedoria humana, e não pertence ao texto, e que o Senhor deu a visão correta àqueles a quem deu o clamor da hora do juízo” (PE 74.1). 

Diante da palavra do Senhor, quem ousa contra-argumentar? Ponha cada um a mão sobre a boca (Jó 40:4). 

testamento de Ellen G. White nomeia várias pessoas para administrar seus escritos, para guardá-los e usá-los sabiamente. O testamento não menciona beneficiários, mas a existência de depositários (mordomos) implica a existência de beneficiários. No entanto, em carta a um dos depositários, a profetisa revela quem são os verdadeiros beneficiários de seu legado:

“Meus escritos são conservados em arquivo no escritório, e mesmo que eu não deva viver, essas palavras que me têm sido dadas pelo Senhor terão vida ainda e falarão ao povo” (ME1 55.5 – Carta 371 de 1907 a Wilcox). O IBC e IAGE, portanto, são advogados dos verdadeiros beneficiários dos escritos de Ellen G. White: o povo, que a tem em alta estima.

Prioridade. Se a IASD houvesse publicado uma Bíblia com comentários de Ellen White (o que ela não desencorajou em nenhum escrito), certamente não seria produzida a Bíblia White. Como a igreja optou por publicar uma Bíblia Andrews com comentários de eruditos e doutores, ficou claro que ela não produziria outra Bíblia para competir com a Andrews. 

A rua Silveira. O White Estate não pode mais ser detentor dos direitos autorais, pois esses já expiraram! É como se a prefeitura desapropriasse minha fazenda, fizesse ruas e praças nela, etc., e eu tentasse impedir o trânsito, bradando: “Parem, parem! Esse terreno é de meu pai, parem! Meu pai é quem tem os direitos sobre essa rua. A rua até leva o nome dele, não estão vendo aqui a plaquinha de rua? Portanto, eu, como seu filho, tenho o direito de impedir o trânsito nos horários que me atrapalham”.

Absurdo! Mas é isso que o White Estate está tentando fazer: reter os direitos que o braço público já declarou ser do povo. Portanto, além de Deus, o Estado também afirma o direito do povo sobre os escritos da Sra. White. “Pela boca de duas ou de três testemunhas se estabelecerá o fato” (Dt 19:15).

Permissão. De fato, Daniel Silveira não pediu permissão ao White Estate, justamente porque não é necessário. Temos que pedir permissão a Deus, pois os escritos são de Deus para o povo, os escritos são dos membros. São nossos! “Que nenhum homem seja colocado em posição onde possa dominar sobre a herança do Senhor, pois isso põe em risco tanto a alma do que domina como a daqueles que estão sob seu domínio” (LC 43.3). Sim, em última instância, o autor dos escritos inspirados é o próprio Deus, e a Ele cada um prestará conta no dia do juízo (1Pe 4:5). Repito, Deus é o autor dos escritos de Ellen G. White, e como não há nenhuma instrução divina contra uma Bíblia com comentários, seguimos em frente, e o resto é história. Seguimos nossa consciência. Quem não quiser comprar e preferir a Andrews, que fique com os comentários de mortais falíveis. Os que a adquiriram, já estão se deliciando com as palavras do Senhor, mais doces do que o mel e o destilar dos favos.

Doug Batchelor encabeça protesto criativo

Doug Batchelor encabeça protesto criativo

Nossa igreja na Califórnia encontrou uma maneira criativa de se reunir com segurança no sábado, sem violar as proibições do estado, em reuniões da igreja. Ainda temos permissão para nos reunir e protestar na Califórnia, então ... PROTESTANDO CONTRA O DIABO! (original...

A Jornada de Jones e Waggoner

A Jornada de Jones e Waggoner

A Mensagem de 1888. Lições da História. Será que os Jones e Waggoner se afastaram da fé adventista por seus ensinos excêntricos, como a nova teologia dá a entender? Lucas Bem é historiador e vive em Marília–SP congressomv · Lucas Bem - A Jornada de Jones e...

Erratas EGW CPB

Erratas EGW CPB

Adulteraram EGW? Nada indica que houve alterações significativas nos escritos de EGW no inglês. Pois eles foram sendo publicados enquanto ela vivia e se tivessem mudado algo após sua morte, teria havido um grito de alerta geral, pois muitos adventistas são bem...

WhatsApp chat