Uma breve reflexão sobre o dilema que os membros fieis da IASD enfrentam. Considere o principal texto de Ellen G. White que lança a dúvida:

A chuva serôdia “não acontecerá enquanto a maior parte dos membros da igreja não forem cooperadores de Deus.” EF 193.3

Muitos ficam perplexos com esta frase, pois o joio claramente está aumentando no momento.

Note que como com os discípulos, a crise (sacudidura) vem antes do derramamento do Espírito:

A grande questão que está tão próxima [o cumprimento da lei dominical] eliminará aqueles a quem Deus não designou, e Ele terá um ministério puro, leal, santificado e preparado para a chuva serôdia. — Mensagens Escolhidas 3:385. – {EF 179.2}

Quando a maior parte do joio tiver sido expurgada, cai o Espírito Santo sobre o trigo. O resto do joio que ainda não tiver pulado fora, continua suas formas e vai considerar o movimento do alto clamor algo perigoso (EF 209.3).

Lembre-se: “Deus está à frente da obra, e Ele porá tudo em ordem. Se, na direção da obra, houver coisas que careçam de ajustamentos, Deus disso cuidará, e operará para corrigir todo erro. Tenhamos fé em que Deus há de pilotar seguramente ao porto a nobre nau que conduz o povo de Deus” IR 68.2

Esta citação não pode estar se referindo à igreja invisível, queridos. Se essa “obra” fosse a causa da verdade presente, quem seria a “direção da obra”? Deus. Mas Deus nunca carecerá de ajustes. Portanto não pode estar se referindo à obra da igreja invisível, mas à obra institucional mesmo, no nosso caso, a DSA, Uniões, Associações etc. 

Confiantes que Deus vomitará o joio para fora na hora certa, dediquemos a nossa atenção de volta ao nosso caráter. Jesus diz: se eu quero que ele permaneça até que eu venha (até a sacudidura), que te importa? Quanto a ti, siga-me.

Voltar ao Blog Inscrição Congresso MV

 

WhatsApp chat