Evidências apontam que uma operação corajosa no estilo Wikileaks chamada SDAnonymous (2012) foi diretamente responsável pela liberação (2015) de todos os escritos até então não publicados de Ellen G. White (EGW), profetisa adventista. O grupo começou a liberar cartas de EGW prometendo publicar todas. O White Estate, detentor ofical dos escritos, então foi constrangido a disponibilizar tudo gratuitamente, a única saída que o salvaria de uma grande perda de prestígio.

Embora não possamos julgar as verdadeiras intenções do grupo, é de se considerar, como bastidores, que uma ação ousada acabou se revertendo em bênçãos para todo o Israel moderno, como aconteceu com Jônatas e seu escudeiro. Eles atacaram a guarnição dos filisteus “de graça”, o que desencadeou numa avalanche de luta, dando a vitória ao Senhor (1 Samuel 14).

Conquanto a premissa de “os fins justificam os meios” seja jesuíta e condenada pelo Senhor, a consciência de cada um deve ditar até que ponto ações arrojadas que cumprem o espírito da lei, mas que esbarram em regras humanas são aceitáveis. Exemplos bíblicos não faltam.

As cartas e manuscritos que foram liberados em 2015 (e que não estão incluídos na compliação “Manuscript Releaseses” de 1981) estão disponíveis no aplicativo EGW2 ou egwwritings.org na língua inglesa como “Letters and Manuscripts”. Em cada início de carta ou manuscrito, está escrito se o documento já tinha sido publicado ou não. Se for inédito, aparece escrito “previously unpublished”.

Repare que desde que o White Estate liberou todas as cartas, o site deles não está mais no ar, a operação foi dada por concluída. Isso é uma forte evidência de que o White Estate de fato liberou tudo que tinha, e que não houve adulterações sistemáticas em seus escritos. Caso contrário, os ativistas não teriam cessado seus labores.

O caso me foi notificado por um dos adventistas pensantes como você, caro leitor do blog do Congresso MV, devido à controvérsia da Bíblia White.

O nome WhitiLeaks é um apelido em alusão ao WikiLeaks (uma página de vazamentos de Julian Assange), paralelo que eles mesmos traçam. O nome oficial porém é SDAnonymous (Adventistas do Sétimo Dia Anônimos). Como mencionado, o site do grupo (egwletters.webs.com) agora está offline, mas conseguimos, pela máquina do tempo, recuperar seu conteúdo mais relevante, que segue abaixo.

Matéria nas revistas liberais Adventist Today e na Spectrum, indicando que não se trata de uma teoria de conspiração mas de fato aconteceu. 


Apresentando o SDAnonymous

http://web.archive.org/web/20120502191403/http://egwletters.webs.com/about-us

Inspirado pelo WikiLeaks e pelo grupo de internet “Anonymous”, o SDAnonymous começou como um grupo internacional de estudantes e leigos interessados ​​nos escritos de Ellen White, na história da IASD e nos princípios do acesso público à informação e ao conhecimento em geral. É difícil dizer onde a visão começou ou quem, entre esse grupo sem nome, concebeu a ideia de adquirir e disponibilizar ao mundo os escritos inéditos. O SDAnonymous cresceu através de conferências de jovens, mídias sociais e outros eventos de networking que fazem parte da vida da igreja.

No início, consultas sutis foram feitas aos funcionários do White Estate sobre se ou quando os materiais não publicados seriam disponibilizados. Em muitos casos, nenhuma resposta foi recebida; e quando foi, alegou-se que estavam trabalhando na publicação de volumes das cartas e manuscritos não publicados, que seriam lançados “dentro dos próximos anos”. Alguns dentro do SDAnonymous afirmam que esta tem sido a resposta oficial há mais de 12 anos!

Quando esta primeira abordagem não deu qualquer evidência de um esforço real sendo feito pelo White Estate para disponibilizar os escritos inéditos, um plano foi formulado. Aqueles que moravam perto de alguns centros de pesquisa ao redor do mundo digitalizavam ou faziam fotocópias de alguns documentos não relacionados de tempos em tempos, fazendo uma lista completa das cartas e manuscritos que tínhamos on-line. Nós ainda estaríamos trabalhando em uma taxa lenta, digitalizando uma dúzia ou mais de documentos a cada semana, se não fosse por um vazamento simpático dentro da organização. Nem todos, mesmo entre aqueles com altos cargos na organização White Estate, estão satisfeitos com as políticas que restringem o acesso aos materiais não publicados. Essa cooperação dentro do sistema acelerou significativamente o trabalho dessa empreitada. Decidimos disponibilizar este site para obter o primeiro dos volumes desses importantes textos enquanto criamos mais e-books e montamos um site adequado com o anonimato de que precisamos.

Os escritos inéditos de Ellen White são apenas o começo. Nosso objetivo final é ver a coleção completa de Cartas e Manuscritos Inéditos do primeiro século de nossa igreja acessível ao público. Possivelmente, esperamos tornar esses materiais disponíveis gratuitamente. O preço dos livros eletrônicos diminuirá gradualmente à medida que cobrirmos custos e trabalharmos em nossos projetos. Agradecemos todo o apoio que estamos recebendo por meio de vendas e doações.


Perguntas e respostas

http://web.archive.org/web/20120509085836/http://egwletters.webs.com/faq

Como saber se o que você está divulgando é genuíno?

Nosso ministério é relativamente novo. Se estivermos vendendo falsificações, logo ficará evidente. Há adventistas suficientes com acesso à internet que moram perto dos Centros de Pesquisa Ellen White e que podem verificar o conteúdo. Estamos confiantes de que, quando a notícia se espalhar, a confirmação de que temos o artigo genuíno também será divulgada.

Se você não tem o luxo de morar perto de um desses centros, há outras maneiras de confirmar. Em primeiro lugar, nossos e-books têm duas fontes de cores. Cartas/Manuscritos ou partes dos mesmos que aparecem em trabalhos publicados estão em uma fonte cinza escuro. As Cartas/Manuscritos não publicadas ou suas seções são publicadas em fonte preta padrão. Como introdução a cada item, identificamos onde ela está localizada, se é que está, através dos trabalhos publicados, para que você possa verificá-la.

Você pode provar o que disse a respeito do White Estate sobre eles divulgarem tudo o que têm nos últimos 12 anos?

Bem, você não precisa acreditar em nossa palavra. Os relatórios que tivemos datam do ano 2000, quando nos informaram pela primeira vez sobre o projeto para divulgar todos os materiais não publicados, mas este foi um contato verbal com a equipe do White Estate. No entanto, podemos provar que pelo menos desde 1988 a decisão foi tomada. Só podemos nos perguntar por que o longo atraso. Aqui estão duas declarações para mostrar a verdade disso:

“Com o passar do tempo, e com o aumento das necessidades de pesquisa, a política de liberação do White Estate foi modificada de: ‘Por que deveria ser publicada?’ para ‘Por que não publicá-la?’ Isso levou à decisão de tornar todas as cartas e manuscritos de Ellen White disponíveis em CD-ROM.” ‒ Douglass, Herbert E. Mensageira do Senhor (Pacific Press, 1998), 529.

“O trabalho de anotar todas as cartas e manuscritos inéditos de Ellen White foi iniciado em 2003, com o objetivo de publicar o primeiro volume no final de 2005. Ele cobrirá os anos de 1845 a 1859. Volumes subsequentes aparecerão quando estiverem prontos.” ‒ Jim R Nix, Adventist Review.

Você está divulgando tudo? Existem escritos supersecretos que ainda não conseguiu?

Estamos divulgando tudo o que temos. Existem apenas algumas cartas ou manuscritos das listas de verificação que ainda não temos, e estamos trabalhando cuidadosamente agora para obtermos cópias impressas. Se alguém desejar nos ajudar, indo a um Centro de Pesquisa e copiando/enviando o manuscrito para nós, entre em contato conosco e informaremos do que precisamos. Se lançarmos um e-book sem algumas dessas partes faltantes, enviaremos atualizações gratuitas para aqueles que as comprarem, uma vez que as tenhamos obtido de duas fontes para verificar seu conteúdo.

Quanto a haver escritos supersecretos, isso pressupõe uma densa conspiração. Se houvesse tais escritos, dificilmente saberíamos sobre eles. Há alguma dúvida em nossas mentes sobre a falta de numeração dos manuscritos e cartas no catálogo. Alguns deles estão faltando porque, como os pesquisadores do White Estate tinham informações melhores, eles transferiam cartas ou manuscritos para diferentes anos e números. Esperamos chegar ao fundo de sua metodologia por trás das designações de números.

Quais os fundamentos você tem para ser anônimo? Isso não é covarde? Enganoso?

Existem várias razões para o nosso anonimato.

Em primeiro lugar, temos fontes para proteger. Nós não queremos que problemas cheguem a ninguém para que possamos tornar esses materiais públicos.

Em segundo lugar, não queremos que nossas identidades afetem esse ministério. Poderíamos ter apenas mantido a informação e divulgado através de nossas próprias pesquisas, de maneira que criariam preconceito desde o início. No entanto, queríamos que o primeiro lançamento desse material fosse sem preconceito, para que as pessoas pudessem formar sua própria análise. Sabemos que isso se manifesta diante de como as coisas normalmente são feitas, mas achamos que as pessoas devem ser ensinadas a pensar.

A Bíblia nos ensina a ser sábios como as serpentes, mas gentis como as pombas. Na Bíblia e na história, vemos que houve momentos em que a ocultação e a proteção foram necessárias por um tempo. Por isso, as histórias de Tamar, Raabe e, mais recentemente, Manuel Lacunza. Até mesmo Jesus se ocultou, às vezes, para obter sabedoria e para o cumprimento dos propósitos de Sua missão e chamado. Nós sentimos que o anonimato é o modo mais sábio neste momento.

Por que você está vendendo esses materiais? Por que você não pode divulgá-los livremente?

Estamos interessados ​​apenas em cobrir as despesas correntes do nosso ministério. O suporte que recebemos através dos e-books vai custear o valor de hospedagem, domínios, sites, software e tradução. Nós dizimamos e doamos parte do que vem também. Assim que esses custos forem atingidos, os preços serão reduzidos. Isso será feito de forma gradual, para não ser injusto com aqueles que primeiro nos apoiaram. Com o nosso segundo volume, já cumprimos as nossas promessas de recompensar os nossos apoiantes através de ofertas especiais.

Esses materiais não são roubados? Como você responde às acusações de roubo?

Os direitos autorais de escritos inéditos só se estendem por 70 anos após a morte de um autor. Como tal, não estamos violando nenhuma lei para disponibilizar esses materiais. A maioria das pessoas afirma que o White Estate é o “dono” dos escritos de Ellen White. Nós contestamos essa compreensão. O White Estate é apenas “mordomo” dos escritos. Os escritos pertencem a Cristo e Seu corpo ‒ a Sua igreja.

Esta é uma questão de convicção baseada na perspectiva. Tememos que qualquer resposta que dermos aqui seja vista por alguns como uma tentativa de justificação. Vamos dizer primeiro que somos totalmente solidários e leais à Igreja Adventista do Sétimo Dia. No entanto, estamos em protesto contra certas políticas. Essa tensão pode ser vista em nossa igreja em muitos assuntos.

Entendemos que algumas pessoas verão isso desta maneira: “Como escritos de Ellen White são de propriedade da igreja, então, se você os adquiriu, você está roubando”. No entanto, vemos isso de forma diferente. Vemos que a política do White Estate tem sido excessivamente restritiva, faltando transparência. Estamos chamando-os para um padrão mais elevado, tomando a iniciativa que eles não conseguiram fazer. As políticas do White Estate em relação aos escritos de Ellen White causaram ou perpetuaram muitos dos ataques contra o ministério de Ellen White e as divisões dentro da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Não acreditamos que tenhamos agido de maneira imoral ou antiética. Tivemos a sorte de ter esses escritos praticamente caindo no nosso colo. Acreditamos que seria imoral mantê-los por nós mesmos. Eles pertencem ao povo da igreja.

O que você quer dizer com as políticas do White Estate causaram ou perpetuaram ataques e divisões contra e dentro da igreja?

Não é nosso desejo sentar e reclamar sobre o que a igreja está ou não fazendo a respeito do que acreditamos como deveria ser. Somos pessoas de ação. Nós agimos e sabemos que haverá detratores. Embora não queiramos alimentar os que aceitam desculpas para atacar a igreja, achamos justo dar alguns exemplos do que queremos dizer.

  1. As políticas excessivamente restritivas do passado em relação aos escritos inéditos têm alimentado fortemente as facções anti-Ellen White e anti-ASD com acusações de adulteração, alteração ou supressão de materiais. Não acreditamos nas acusações, mas acreditamos que elas poderiam ter sido evitadas por uma abordagem mais transparente do White Estate.
  2. Nos anos 1950, quando Wieland e Short estavam recuperando a história do que aconteceu em 1888, eles foram recebidos com forte resistência pelo White Estate e tiveram que conduzir grande parte de suas primeiras pesquisas em propriedades particulares de manuscritos e cartas. O White Estate não lançou os materiais relevantes de 1888 até 3 décadas depois.

Acreditamos que a única solução é a transparência total. Sem espera por edições anotadas que demoram quase uma década por volume. Elas podem vir depois. Temos a série “Biografia de Arthur White” para nos guiar através do contexto dos tempos. Isso deveria ser o suficiente. Além disso, um grupo maior de pesquisadores significa resultados mais rápidos na conclusão da série anotada.

Qual é a sua posição em questões como o nível de inspiração de Ellen White (ou falta dele)? Ordenação feminina? O debate da Trindade? Etc.

Nós declaramos claramente em nossa página “Sobre Nós” sobre nosso anonimato. Aqueles que apoiam o SDAnonymous vêm de quase uma dúzia de nacionalidades. Também temos uma gama de pontos de vista sobre todos os assuntos dentro do adventismo. No entanto, negligenciamos nossas diferenças para nos concentrarmos em um objetivo comum ‒ os escritos inéditos de Ellen White. O que quer que pensemos como indivíduos, acreditamos que sem todos os fatos não estaremos baseando nossas conclusões em todas as evidências. Algumas pessoas reagiram fortemente à nossa decisão de não nos alinharmos com nenhuma facção particular dentro do adventismo. Isso é porque acreditamos que os escritos de Ellen White pertencem a toda Igreja Adventista, não a qualquer grupo. Se as pessoas são tão elitistas a ponto de confiar apenas em alguém que acredita como eles, essa é a escolha deles. Esperamos que quando tudo que o Senhor revelou à Sua igreja for disponibilizado, será um bálsamo de cura para muitas das divisões que vemos.

A publicação de mais escritos de Ellen White não irá aumentar a confusão e as divisões dentro do adventismo?

Acreditamos que isso não é um problema com inspiração, mas com a humanidade na interpretação. Não é um atributo de inspiração confundir as pessoas. É um atributo da humanidade ir a extremos. Acreditamos que, se a igreja tivesse apenas um único livro da Bíblia, haveria alguns que o levariam a extremos, alguns que seriam céticos ou rejeitariam, e outros que procurariam encontrar um equilíbrio. A chave é a falta de educação sobre a natureza da inspiração e como ler, estudar e interpretar a inspiração.

A publicação de mais escritos de Ellen White não irá dar mais munição àqueles que são hostis a ela?

Novamente, isso não é um atributo dos escritos. Tivemos alguma experiência com os ministérios que rejeitam Ellen White e a Igreja Adventista do Sétimo Dia. Também vimos muitos boatos sobre seus escritos, cujo acesso às cartas e manuscritos não publicados foi esclarecido. Muitas dessas pessoas que rejeitam Ellen White são cristãs genuínas e amorosas, que foram feridas de alguma forma pela igreja. Antes de procurarmos que elas aprendam conosco, talvez haja coisas que possamos aprender com elas. Com isso dito, acreditamos que muitas das acusações contra Ellen White envolvam a política secreta do Patrimônio White. 

E se o próprio White Estate divulgar os escritos?

Nada seria mais apreciado por nós do que o White Estate se levantar e divulgar os escritos para o mundo. Nós acreditamos que eles deveriam ter feito isso anos atrás. Pelo que nos foi dito, há um banco de dados digitais dos escritos inéditos no mesmo site em que o público pode acessar os escritos inéditos. Se isso for verdade, não será preciso fazer muitos ajustes para converter o site para que todos possam acessar e pesquisar os escritos não publicados, e poderemos trabalhar em outros projetos.

Qual é a sua agenda?

Nosso primeiro objetivo é organizar os escritos em e-books, cobrir os custos iniciais e contínuos de nosso ministério, incluindo ter uma presença na Web, a criação de e-books e a compra de software para fazer uma extensão (add-on) no software existente (CD-ROM) dos escritos de Ellen White para facilitar o uso.

Os futuros projetos que esperamos promover, ou pelo menos ajudar, são a digitalização de todas as outras cartas, desde o início de nossa igreja. Há dezenas de milhares de cartas dos companheiros de Ellen White e das gerações subsequentes que não foram divulgadas. Estes são cruciais para entender o desenvolvimento histórico da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Gostaríamos também de ver a digitalização de todos os livros que estavam nas bibliotecas privadas e no escritório de Ellen White na época de sua morte. O escritório da Adventist Archives fez um grande trabalho em disponibilizar muitos dos periódicos, mas eles não fizeram muitos acréscimos por um bom tempo.

Como você permanece anônimo? E se você for identificado?

Estamos usando proxies, navegadores e outras precauções para proteger nossas identidades on-line no envio de e-mails ou redes sociais de nosso ministério. No entanto, sabemos que um ou alguns de nós podem ser descobertos. Nós assumimos riscos para trazer esses materiais para o público e nós cruzaremos essa ponte se ou quando chegarmos nela. Não fizemos exatamente o juramento de sangue de não desistir de mais ninguém em nosso grupo, mas passamos a confiar um no outro ao longo do tempo.

Por que o nome SDAnonymous? Porque WhitiLeaks soou ridículo!


Denis Kaiser desafia a ética do SDAnonymous

http://web.archive.org/web/20120510094916/http://egwletters.webs.com/apps/blog/show/13966802-denis-kaiser-challenges-ethics-of-sdanonymous

Denis Kaiser, um pesquisador da Universidade Andrews, fez o que parece ser a primeira resposta oficial ao nosso ministério. Queríamos incluir sua declaração aqui, bem como nossa resposta. Não pudemos incluir hiperlinks nos comentários do artigo, mas os incluímos aqui.

Denis: Já faz alguns anos, todos os estudantes, pesquisadores e leigos podem ir ao Centro de Pesquisa Adventista (CPA) da Andrews University e acessar e pesquisar as cartas e manuscritos não publicados em um computador na sala de leitura. Ninguém está atrás de você vigiando o que você procura. Se você quiser examinar as cópias impressas, poderá solicitar um índice, e ele recuperará as cópias impressas para você. Todos os alunos da turma sobre questões de Ellen White precisam escolher (livremente) das cartas e manuscritos não publicados de Ellen White e lê-los por várias horas para ter uma ideia de seus escritos (é uma grande tarefa). Eu nunca experimentei ou vi qualquer exame minucioso ou triagem da identidade do aluno.

SDAnonymous: Denis Kaiser, obrigado por suas críticas ao nosso ministério. Vamos tentar respondê-las da forma mais sucinta possível.

Quantos anos são “alguns anos”? Nós só temos um correspondente SDAnonymous nas proximidades da Andrews, apesar de estarmos ganhando mais apoio agora. Eu não posso falar com autoridade na Andrews University, mas falo em geral. Em outros Centros de Pesquisa, a política que vem do White Estate restringe o acesso ao banco de dados não publicado apenas aos diretores desses Centros de Pesquisa, para que estudantes e leigos não possam acessá-los sem uma consulta e supervisão atual. Mesmo os secretários, que nos dizem trabalhar para a instituição há décadas, não têm acesso próprio quando o diretor está ausente. Nós elogiamos a Andrews University por estarem pensando a respeito dessa questão. Mas mesmo se as políticas do CPA estivessem em todos os níveis, isso não ajudaria a maioria dos adventistas que não moram perto dos poucos Centros de Pesquisa ao redor do mundo. Às vezes, a correspondência com o White Estate pode durar meses antes de uma resposta ou nunca ser respondida.

Denis: Por cerca de oito ou nove anos, o White Estate tem trabalhado em uma edição anotada das cartas e manuscritos não publicados. Quando esse projeto foi iniciado, o White Estate esperava que fosse feito dentro de alguns anos. No entanto, Ellen White geralmente não fornecia informações completas sobre as pessoas a quem ela se dirigia ou mencionava em suas cartas e manuscritos. Identificar essas pessoas e fornecer antecedentes históricos revelou-se um esforço meticuloso que atrasou o projeto por vários anos. Pode ser perguntado por que precisamos de anotações. O mau uso e o abuso acontecem facilmente quando se negligencia o contexto de certas declarações e documentos. Esta é também uma fraqueza das compilações. O projeto de anotação nasceu do desejo de fornecer informações úteis para uma melhor compreensão das cartas e manuscritos não publicados. Eu estive envolvido neste projeto apenas por alguns meses (desde o ano passado), mas até agora foi uma enorme bênção para mim, bem como um trabalho árduo e às vezes difícil. O primeiro volume desta edição anotada foi concluído há alguns meses e está prestes a ser publicado pela editora. Foi declarado por um escritor que a necessidade de SDAnonymous cessaria quando a igreja tornasse públicos seus materiais históricos. Gostaria de saber se eles parariam de vender os materiais de 1845 a 1856, quando o primeiro volume das cartas e manuscritos anotados e não publicados for publicado em algumas semanas/meses?

SDAnonymous: Denis, você poderia ser mais específico, por favor?

Denis: Herbert Douglass, em “Mensageira do Senhor”, p. 529, escreveu que “a decisão de disponibilizar todas as cartas e manuscritos de Ellen White disponíveis em CD-ROM” foi feita quando o livro foi publicado em 1998! (Seu livro foi aprovado pelos curadores da White Estate). Isso é quase o dobro dos seus 8 ou 9 anos. Além disso, você pode ser específico sobre se estas são todas as cartas e manuscritos não publicados? Stefan afirmou (e nós também estamos sob a impressão) que é apenas o primeiro volume que está sendo preparado no momento, que só vai até meados da década de 1850 (…) Quanto ao “uso e abuso”, acreditamos que isso é sintomático da humanidade, não da inspiração. Não encontramos nada nos escritos que desafia nossa fé na inspiração ou na convicção de que da Igreja Adventista seja a igreja remanescente. Acreditamos que se você apenas desse às pessoas um livro da Bíblia, haveria pessoas que iriam a extremos de ambos os lados, e outras estariam equilibradas. Acreditamos que os materiais inéditos, enquanto os reunimos, sejam uma bênção para ler ao lado da série “Biografia de Arthur White” e não vejo razão para que isso não seja suficiente para os outros. Sim, nossa necessidade cessaria quando a igreja adotasse uma política de total transparência, disponibilizando todos os seus arquivos digitalmente. Elogiamos o trabalho de adventistarchives.org, embora pareça que eles não lançaram nada por algum tempo. Gostaríamos muito de ver o CPA começar a divulgar suas participações em um processo similar.

Denis: Outro projeto foi iniciado há alguns anos e está ganhando alguma forma e formato. Eu estou falando sobre a digitalização da correspondência recebida e de outros materiais inéditos em vários arquivos (White Estate, Arquivo da Conferência Geral, Centro de Pesquisa Adventista da Andrews, etc.), bem como a alimentação de materiais por esses institutos arquivísticos, em um arquivo pesquisável e banco de dados sinérgico/plataforma on-line. Esses projetos só podem ser realizados por meio de doações voluntárias. Em vez de trabalhar contra a igreja, roubando materiais e vendendo-os on-line, as pessoas poderiam contribuir com seus conhecimentos e habilidades para o benefício dos projetos que estão sendo executados no momento e, assim, beneficiar a igreja como um todo. Presumo que a disposição dessas pessoas depende de seu nível de confiança.

No entanto, a capacidade das pessoas de usar métodos fraudulentos para obter fotocópias/digitalizações e obter acesso a bases de dados on-line é inexplicável para mim. Revela desconfiança, suspeita e energia criminosa. Eu só me pergunto como alguém pode reivindicar paixão pelos pioneiros e pelos escritos de Ellen White e, ao mesmo tempo, usar o roubo como uma ferramenta. Como você pode conciliar isso? Para mim, isso seria uma questão ética.

SDAnonymous: Em relação ao projeto de digitalização das demais propriedades, onde estão os detalhes ou transparência sobre o projeto? Por que isso não pode ser disponibilizado pouco a pouco em toda a linha como os Arquivos Adventistas fizeram? Nós gostaríamos de nos reclinar e apoiar esses esforços, mas parece ser tudo ar quente e sem resultados. Você fala em “trabalhar contra a igreja”. Perguntamos: “o que você quer dizer com ‘igreja’?” Você quer dizer a instituição? Respeitamos a instituição como suscitada por Deus, mas protestamos contra as políticas que envolvem falta de transparência e resultados atrasados ​​ou inexistentes. Estamos trabalhando “pela igreja” ‒ esse é o povo. Vemos isso como puro elitismo, que vê a “igreja” apenas como a instituição, e geralmente é uma visão mantida por aqueles em cargos de responsabilidade naquela instituição. Ainda estaremos canalizando recursos para a igreja (instituição) por meio do dízimo e das ofertas, com especial atenção para projetos que obedeçam a altos níveis de transparência e produzam resultados. Se há uma “desconfiança” ou “suspeita” aqui, ela vem de cima para baixo. As políticas revelam uma desconfiança e suspeita dos leigos como se todos levassem seus escritos ao extremo. Lamentamos, isso já está acontecendo com o que está por aí, e nenhuma quantidade de anotações resolverá um problema de maturidade espiritual. Essa é uma questão de cuidado pastoral. Todo o eleitorado não deveria sofrer com o que tem sido um problema através dos tempos. A ética vai nos dois sentidos, Denis. Não estamos aqui para nos justificar, mas sabemos que nossos corações e motivos estão certos com o Senhor e acreditamos que estamos agindo de acordo com os princípios bíblicos. Se o White Estate quiser nos calar, a única maneira de consentirmos é vendo os poucos ajustes feitos no site deles para permitir que os escritos inéditos sejam pesquisados ​​e acessados ​​por todos. Quanto à “venda”, como estamos cumprindo os custos do nosso projeto, já estamos tornando os futuros volumes mais baratos por meio de “pacotes” e ofertas para aqueles que já compraram, estabelecendo metas claras de apenas cobrar para cobrir os custos.

“Com o passar do tempo, e com o aumento das necessidades de pesquisa, a política de liberação do White Estate foi modificada de: ‘Por que deveria ser publicada?’ para ‘Por que não publicá-la?’ Isso levou à decisão de tornar todas as cartas e manuscritos de Ellen White disponíveis em CD-ROM.” ‒ Douglass, Herbert E. Mensageira do Senhor (Pacific Press, 1998), 529.


COMUNICADO DE IMPRENSA DO SDANONYMOUS (agosto de 2012)

https://www.scribd.com/document/104531009/Press-Release-From-SDAnonymous

Concernente ao grupo: SDAnonymous é um conjunto de várias dúzias de adventistas do sétimo dia de todo o mundo. SDAnonymous representa 13 nacionalidades e pode ser encontrado em todos os principais continentes ao redor do globo. A maioria dos SDAnonymous são membros votantes da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Alguns dos membros têm emprego nas instituições da igreja, outros são estudantes ou leigos. Há uma diversidade de crenças entre os membros do SDAnonymous em uma variedade de questões contemporâneas. Estamos unidos por um desejo comum ‒ ver transparência pela liderança da igreja sobre nossa herança distinta, começando com a liberação de todos os escritos de Ellen G. White.

Concernente aos escritos de Ellen G. White: Um valor do SDAnonymous é o respeito pelos escritos de Ellen G. White. Nós reconhecemos que há muitas críticas a seus escritos que até mesmo contradizem teorias sobre o que ela acreditava. Pelo menos 50% das cartas e manuscritos de Ellen White não foram lançados em parte ou na íntegra. Nós vemos que o exame minucioso das opiniões de Ellen White e o significado de suas palavras são dificultados pelo acesso restrito a seus escritos completos. Nós não acreditamos que as pessoas devam ter que viver perto dos Centros de Pesquisa para ter o privilégio de acessar os escritos completos.

Pesquisas importantes, como o crescimento literário de Ellen White, o desenvolvimento de seu pensamento sobre vários tópicos e o estudo da contribuição de Ellen White para a herança adventista não podem ser totalmente realizados sob tais restrições. Acesso digitalizável e digitalizado, como está disponível apenas para um punhado de pessoas privilegiadas desde os anos 80, é necessário para permitir que todas as partes interessadas contribuam para uma compreensão coletiva mais completa dos primórdios da igreja e da vida e ensinamentos da mensageira de Deus.

Concernente ao testamento de Ellen G. White: O testamento de Ellen White é datado de 1912. Ellen White morreu em 16 de julho de 1915. Seu testamento nomeou cinco homens como curadores de sua coleção de manuscritos ‒ William C. White, Clarence C. Crisler, Charles H. Jones, Arthur G. Daniells e Frank M. Wilcox. Esses homens não eram os beneficiários de seus escritos, mas curadores ou depositários. O testamento não nomeia explicitamente um beneficiário ou beneficiários para o arquivo do manuscrito; no entanto, a existência de curadores implica a existência de beneficiários. Os beneficiários são identificados em uma carta para um dos homens que ela tornaria curador. Ela escreveu em 1907 a F. M. Wilcox que seus escritos “são conservados em arquivo no escritório, e mesmo que eu não deva viver, essas palavras que me têm sido dadas pelo Senhor terão vida ainda e falarão ao povo” (ME1 55.5).

O SDAnonymous são, portanto, defensores dos verdadeiros beneficiários e verdadeiros proprietários dos escritos de Ellen White ‒ “o povo”, que a mantém em alta estima.

Em relação ao White Estate: Ao contrário da alegação on-line, o Ellen G. White Estate, Inc. não foi “criado por vontade última e testamento de Ellen G. White”. O White Estate não havia surgido até 1933, quase duas décadas depois que Ellen White morreu. Foi criado pelos cinco administradores nomeados no testamento, conforme os artigos do estatuto dizem: “realizar e executar as provisões da instituição de caridade criada na última vontade e testamento de Ellen G. White, falecida”. Em uma relação de confiança, não deve haver um preconceito dos curadores para nenhum dos beneficiários. De 1940, há provas documentais de que o White Estate serviu como um instrumento da igreja, liderança, para fazer cumprir a política contemporânea, incluindo, mas não se limitando às seguintes ações:

– O uso de compilações a pedido da Associação Ministerial para fazer reforçar divisões doutrinárias na década de 1940.

– Recusando o acesso aos pesquisadores Robert J. Wieland e Donald K. Short na década de 1940 e 1950 para a compilação de materiais sobre a conferência geral de 1888.

– Fazendo ameaça de ação legal contra Wieland e abreviação do uso de inéditas declarações pesquisadas em coleções privadas.

– Permitindo o acesso ao mesmo tempo a estudiosos protestantes, como Walter Martin, no mesmo período de tempo que questionou muitas das posições do adventismo do sétimo dia.

– Alterando as declarações para uma política doutrinária adicional da liderança da igreja.

– Permitindo uma longa história de acesso restrito aos escritos de Ellen White por pesquisadores que não se inscreveram exatamente para o retrato oficial de sua vida e ensinamentos apresentados pelos administradores.

– Removendo o emprego de funcionários que usaram escritos em pesquisa sem a aprovação dos curadores.

O SDAnonymous respeita as altas responsabilidades que o White Estate detém. Ao mesmo tempo, nós reconhecemos que essas posições são mantidas por homens falíveis, e deve ser declarado que a inspiração dada a Ellen White não se restringe apenas àqueles que mantêm seus escritos em confiança. Nós acreditamos que é possível manter simultaneamente um respeito pela posição do White Estate e um forte desacordo sobre a política e as ações desse órgão.

Concernente às intenções do White Estate de divulgar os escritos: Através da providência de Deus, a década de 1990 viu uma mudança na política de divulgar todos os escritos. Entre 1995 e 2001, William Fagal, diretor da filial da Andrews University, respondeu várias perguntas de e-mail sobre os escritos inéditos com a promessa de que as cartas completas e manuscritos estavam sendo preparados como um CD-ROM pesquisável. Depoimentos do White Estate provam que isso foi concluído no Folio Infobase em 2002 ‒ o mesmo formato que o CD-ROM completo publicado. Durante este mesmo período, os curadores encomendaram o livro “Mensageira do Senhor” por Herbert E. Douglass, publicado em 1998. Este livro leva a aprovação do “Conselho de Administração do Ellen G. White Estate, Inc.” no prefácio. Neste livro, Douglass revela: “Com o passar do tempo, e com o aumento das necessidades de pesquisa, a política de liberação do White Estate foi modificada de: ‘Por que deveria ser publicada?’ para ‘Por que não publicá-la?’ Isso levou à decisão de tornar todas as cartas e manuscritos de Ellen White disponíveis em CD-ROM.” ‒ Douglass, Herbert E. Mensageira do Senhor (Pacific Press, 1998), 529.

A posição do SDAnonymous é que os curadores reconheceram o tempo para divulgar esses escritos como cumprido na década de 1990. Nós mantemos o espírito dessa decisão.

Em relação ao atraso: Em algum momento de 2002-2003, assim que o CD-ROM foi concluído, a política do White Estate mudou novamente. Um novo plano foi formado para divulgar cópias impressas de volumes cronológicos das cartas e dos manuscritos, fortemente anotadas. O volume inicial contendo os primeiros treze anos de escritos (1847-1859) foi anunciado pela primeira vez para ter sido concluído em 2005 na Revista Adventista. O projeto foi continuamente adiado a partir desse momento até agora. Os depoimentos do White Estate afirmam que um total de US $ 1 milhão foi gasto até agora na preparação deste primeiro volume. É um fato que existem alguns anos do final da vida de Ellen White que contêm quase o mesmo em produção literária como os primeiros 13 anos combinados.

O SDAnonymous não desvaloriza o contexto histórico que uma edição anotada forneceria. Nós saudamos todas as contribuições para a compreensão do patrimônio adventista. Nós discordamos da mais nova política de esperar até que o projeto de anotação seja concluído para divulgar os escritos para as pessoas da igreja. Não vemos razão para que os escritos não possam ser divulgados imediatamente enquanto um projeto de anotação está a caminho.

Estamos preocupados que o atraso possa levar a suspeitas de que os administradores estão tentando controlar a maneira como os escritos são interpretados para reforçar a política da igreja. No ritmo que o projeto de anotações está indo, mesmo que acelere consideravelmente à medida que apareçam mais evidências documentais nos anos futuros, pode-se esperar muitas décadas até que o projeto possa ser concluído. Sugerimos que a ajuda de esforços de pesquisas voluntárias possa acelerar o projeto se o CD-ROM for liberado para qualquer um que deseje pesquisar estes escritos.

Em relação aos direitos autorais: As leis de direitos autorais dos EUA limitam o prazo de direitos autorais de escritos não publicados como se estendendo da morte do autor a um acréscimo de 70 anos. Para aqueles escritos que não eram de domínio público antes do “Copyright Act” de 1976, uma extensão estendeu a proteção do copyright para os escritos de Ellen White até 1 de janeiro de 2003. De acordo com as leis de direitos autorais dos EUA, mesmo as compilações não criam direitos autorais nas cartas e manuscritos. Como tal, todos os manuscritos e cartas tornaram-se domínio público uma década atrás. Se o White Estate tivesse liberado todos os manuscritos e cartas em CD-ROM em 2002, eles teriam retido os direitos autorais desses escritos.

A Convenção de Berna estabelece que esses escritos também são considerados como fora de direitos autorais em todos os outros países signatários. Mesmo pelas leis de direitos autorais australianas mais rígidas, o movimento de propriedade de direitos autorais para o domínio público em outros países é reconhecida. O SDAnonymous acredita que a propriedade dos direitos autorais desses escritos agora coincide com os verdadeiros beneficiários da obra de Ellen White em seu testamento no domínio público.

Acerca da aquisição dos escritos: O SDAnonymous começou com alguns amigos on-line há quase uma década. Estes coletavam manuscritos e cartas dos Centros de Pesquisa Ellen White dos seminários em que participaram. O grupo cresceu globalmente desde aquela época para várias dezenas de indivíduos. Em algum momento no ano passado, um membro da equipe de um desses Centros revelou a um membro do SDAnonimous a localização on-line das cartas e manuscritos, bem como algumas maneiras pelas quais elas poderiam ser recuperadas. Como o SDAnonymous tinha alguns milhares de documentos na época, parecia uma maneira muito mais rápida de completar a coleção.

O banco de dados de escritos não publicados foi acessado através de um uma porta dos fundos no egwwritings.org internet. Esta ação foi incorretamente retratada na mídia como “roubo” ou “furto”. Legalmente, roubo ou furto exige, como parte da ação, a privação permanente da propriedade de outro pessoa. Como tal, copiar documentos, mesmo superando a proteção tecnológica, não é roubo. Além disso, roubo implica em propriedade. Você não pode realmente roubar algo que você já possui. A convicção do SDAnonymous é que os escritos mantidos em confiança pelo White Estate são verdadeiramente propriedade dos verdadeiros beneficiários de seu testamento ‒ os crentes que consideram seus escritos como instrutivos. Por essas razões, a convicção do SDAnonymous é que a aquisição desses documentos não é roubo, mas restauração.

Sobre Brendan Knudson: Brendan Knudson é uma adição relativamente nova ao SDAnonymous. Ele contribuiu com uma quantidade considerável de documentos digitalizados adquiridos através de suas próprias pesquisas. Ele é o único que não é membro do Igreja Adventista do Sétimo Dia dentro de SDAnonymous. Quando a ideia foi dada para recuperar o escritos remanescentes do banco de dados, Brendan concordou em fazer com que a averiguação digital salvaguardasse o resto do SDAnonymous da disciplina eclesiástica interna. Isso incluiu o uso de nomes de usuários semelhantes a ele na busca por conselhos sobre vulnerabilidades de sites.

Brendan foi responsável por configurar a presença web do SDAnonymous. Sendo localizado remotamente na Armênia, ele também configurou um servidor proxy para todas as nossas atividades na recuperação do banco de dados. Estes foram, em grande medida, os limites de suas atividades com o nosso processo de aquisição. Brendan detém uma visão antitrinitariana de Deus, semelhante a muitos dos primeiros pioneiros. Embora nem todos no SDAnonymous concordem com os seus pontos de vista sobre esse assunto, não fizemos acordo sobre cada um dos pré-requisitos para o nosso grupo. Tal julgamento não está de acordo com nossa filosofia.

Concernente às ações do White Estate: O White Estate iniciou uma ação civil contra Brendan Knudson na Austrália em 3 de agosto de 2012, buscando uma injunção contra todas as ações de Brendan em relação aos escritos de Ellen White com a primeira audiência no dia 6. Um investigador particular que trabalha para o conselho jurídico do White Estate confundiu a visita de um dos irmãos de Brendan à casa de sua mãe como a localização de Brendan naquele lugar. O serviço de documentos legais foi feito sobre o irmão autista de Brendan, enquanto ninguém mais estava em casa, causando sofrimento considerável.

Em 9 de agosto, uma oferta de acordo foi enviada a Brendan para ser aceita em 7 dias. Em discussões com assessoria jurídica para o White Estate na Austrália, Brendan foi informado de que o White Estate desejava negociar e encontrar uma solução pacificamente. Brendan consultou o SDAnonymous e respondeu no dia 13 com uma contraproposta aceitando e até mesmo excedendo a maioria dos termos do White Estate em várias condições exigidas pelo SDAnonymous, incluindo que os escritos seriam lançados em CD-ROM no final de 2012. No dia 23, a comunicação foi recebida, e o White Estate rejeitou todos os termos da contraoferta. Brendan imediatamente elaborou uma resposta perguntando se o White Estate estava realmente interessado em negociar, ou se queria ditar um acordo. Quarenta e oito horas (depois estendido para uma semana) foram oferecidas para o White Estate dar uma resposta mais amigável. O White Estate excedeu esse período de tempo, e estamos atualmente aguardando sua decisão.

Embora afirmando desejar negociar e entrar em acordo pacificamente, o White Estate iniciou uma ação civil nos EUA com avisos de remoção DMCA (Digital Millennium Copyright Act, conhecido como DMCA. Em português, Lei dos Direitos Autorais do Milênio Digital) enviados para o provedor de hospedagem e registro de domínio das empresas que Brendan usou. Em 16 de agosto, uma ação civil foi oficialmente apresentada ao Tribunal Distrital de Maryland. Os documentos não foram oficialmente enviados a Brendan por essa ação nos EUA.

Em nenhum momento, antes de 3 de agosto, Brendan Knudson ou SDAnonymous foram contactados, expressando qualquer desejo para dialogar com os funcionários da White Estate antes da ação jurídica ser tomada.

Estima-se que dezenas de milhares de dólares em dinheiro da igreja já tenham sido gastos pelo White Estate em prosseguir a ação legal nesta matéria. Parte desse dinheiro vem dos dízimos e ofertas. Ao negligenciar a comunicação através de contatos on-line de fácil acesso, grandes erros foram feitos, incluindo não estar ciente da localização geográfica de Brendan. Como resultado, é provável que grande parte da ação legal seja descartada como fora da jurisdição do tribunal.

Acerca de processos judiciais entre crentes: O White Estate, em busca agressiva de defender sua posse dos escritos de Ellen White, está aparentemente contradizendo completamente os ensinamentos que eles mantêm em confiança. O capítulo 37 de Mensagens Escolhidas, volume 3, contém muitos conselhos contra ações judiciais entre crentes. Aqui está um algumas seleções: “Apoiar-se no braço da lei é uma desonra para os cristãos; no entanto, este mal está sendo introduzido e acalentado entre o povo escolhido do Senhor. Princípios mundanos têm sido apresentados furtivamente, até que na prática muitos de nossos obreiros estão se tornando como os laodiceanos — indiferentes, porque é colocada tanta confiança em advogados e em documentos e acordos legais. Tal estado de coisas é abominável a Deus. — Manuscrito 128, 1903”. (ME3 303.3)

“Escrevi muita coisa a respeito de os cristãos que creem na verdade colocarem seus casos em tribunais de justiça para obter desagravo. Ao fazer isso, eles estão mordendo e devorando uns aos outros, em todo sentido da palavra, para serem ‘mutuamente destruídos’. Rejeitam o conselho inspirado que Deus tem dado, e, apesar da mensagem dada por Ele, fazem aquilo mesmo que Ele disse que não deviam fazer. Tais homens também podem parar de orar a Deus, pois Ele não ouvirá suas orações. Insultam a Jeová, e Ele deixará que se tornem súditos de Satanás até que vejam sua loucura e busquem o Senhor pela confissão dos seus pecados.” (ME3 302.2)

O SDAnonymous acredita que as ações do White Estate em levar os crentes a cortes trai ainda mais sua sagrada confiança através da desobediência aos escritos que afirmam defender. O interesse do SDAnonymous é que estas ações civis sejam indeferidas o mais cedo possível, de modo que a igreja incorra os menores custos possíveis nesta ação injusta. Apelamos ao White Estate para que reconquiste a confiança dos membros e redescubra a razão de sua existência ‒ fornecer um serviço para os beneficiários de Ellen White. Na questão de suas negociações com SDAnonymous e Brendan Knudson, nós saudamos uma resolução pacífica para este assunto.

Para aqueles que desejam escrever seus pensamentos para o White Estate em relação à liberação do escritos completos de Ellen White, ou a ação de levar crentes ao tribunal, encorajamos você a escrever para mail@whiteestate.org

Para aqueles que desejam apoiar os esforços dignos do White Estate para traduzir livros de Ellen White para outras línguas, por favor, visite http://partner.egwwritings.org/

Outros comunicados à imprensa podem surgir, dependendo de como as negociações com o White Estate prossiguam.

Novidades Agosto – Palestrantes 2019

Novidades Agosto – Palestrantes 2019

Ovelinha morreu, Mt. Horebe inaugurou, postagens recentes, palestrantes 2019.Canal Monte HorebeMensagens aos AntitrinitarianosTestemunho LeoMeditações Diárias com a Bíblia WhiteMatéria sobre EGW condensadoDeixai-os Misticismo em Pedras Yoni Palestrantes...

WhatsApp chat