Texto retirado do White Estate. Comentário de Daniel Silveira no final.
 
Registros relativos às credenciais ministeriais / de ordenação de Ellen G. White

A. Formulário de Informações Biográficas de Ellen White
Em 5 de março de 1909, o formulário de informações biográficas de Ellen White foi preenchido por sua assistente, Mary Steward, conforme solicitado pelos registros da Associação Geral. A pergunta 19 perguntou: “Se ordenado, indique quando, onde e por quem”. A linha foi marcada com um “x” indicando que ela não havia sido ordenada. Outro “x” foi registrado para a pergunta 26: “Se tiver se casado novamente, forneça a data e para quem”.

B. Registros de credenciamento da Associação publicado na Review and Herald
O nome de Ellen White não é encontrado nas listas de ministros credenciados da Associação de Michigan antes de 1871. (Ver, por exemplo, listas publicadas em RH, 31 de maio de 1864, 28 de maio de 1867 e 26 de maio de 1868.) Ela recebeu o credenciamento ministerial pela primeira vez em 10 de fevereiro de 1871, pela Associação de Michigan:

“Proposto e votado, Que Irmã Ellen G. White receba credenciais desta Associação.” – RH, 14 de fevereiro de 1871, p. 69

Suas credenciais foram renovadas pela Associação de Michigan anualmente depois de 1887. [1] O relatório de 1886 foi apresentado com as palavras: “O comitê de credenciais e licenciamento apresenta os seguintes nomes de ministros ordenados para uma renovação de suas credenciais no ano seguinte”. (Ellen White não foi listada no relatório da Associação de Michigan de 1888.)

C. Listagens no Anuário Adventista do Sétimo Dia e no Boletim da Associação Geral
A primeira lista de ministros no Anuário Adventista do Sétimo Dia foi em 1884. Ellen White foi listada nos ministros da “Associação Geral” e nos ministros de “Michigan”. As listagens apareceram inalteradas em 1885, 1886 e 1887. Em 1888, ela foi listada baixo a rúbrica ministros da “Califórnia”, bem como ministros “do Michigan” e ministros do “campo geral”. Ela também foi listada em “Ministros” (não licenciados) na “Lista Alfabética de Trabalhadores”.

A partir de 1889, todos os trabalhadores foram listados em ordem alfabética, bem como por território, com códigos de letras inseridos para indicar se o trabalhador estava (l) licenciado para pregar ou (m) como ministro ordenado. Ellen White foi listada apenas nos ministros da “Conferência Geral” (não “Michigan” ou “Califórnia”) e um (m) apareceu após o nome dela no diretório. Ela foi listada da mesma maneira entre 1890 e 1894. Nenhum anuário foi publicado de 1895 a 1903; no entanto, “Diretórios dos Trabalhadores” foram publicados no Boletim da Associação Geral.

Nos Boletins de 1895/1896/1897/1898, Ellen White foi constantemente listada no “Diretório dos Trabalhadores” com o código de “Ministro” (m) na ausência de qualquer codificação separada para os ministros ordenados no diretório, bem como aparecendo na lista de ministros da “AssociaçãoGeral”. Nos Boletins de 1899/1900, o Diretório Ministerial listou (m) para ministro ordenado e (l) para ministro licenciado. Ellen White foi listada com o código (m) e na lista de ministros da “Conferência Geral”.

Nos Boletins de 1901/1902, os códigos não foram utilizados, mas uma distinção entre Ministros e Licenciados foi feita em listagens territoriais. Ellen White foi listada na lista de “Ministros” da Associação Geral em vez de “Licenciados”. Nenhum diretório foi publicado em 1903, mas ela recebeu “credenciais ministeriais” da Associação Geral por ação relatada no Boletim da Associação Geral, 14 de abril de 1903, p. 216

No Anuário de 1904, Ellen White foi listada no Diretório Ministerial e com “Ministros sob a direção da Conferência Geral”. Não havia codificação separada para ministros ordenados no diretório. Nos Anuários de 1905/1906/1907/1908, ela foi listada no Diretório Ministerial e com os Ministros listados em “Trabalhadores envolvidos no trabalho geral e nos campos missionários, na Conferência Geral”. Novamente, não havia código separado para ministros ordenados no diretório.

Nos Anuários de 1909/1910/1911/1912/1913, Ellen White foi listada no Diretório Ministerial e com Ministros em “Trabalhadores Envolvidos em Trabalhos Gerais na Conferência Geral” (sem codificação separada para ministros ordenados no diretório).

Nos Anuários de 1914/1915, Ellen White foi listada no Diretório Ministerial e com os Ministros listados em “Trabalhadores Gerais com Credenciais da Associação Geral” (sem codificação separada para ministros ordenados no diretório).

D. Credenciais de Papel do Livro de Ellen White
O White Estate possui sete credenciais de papel que foram emitidas para Ellen White. A primeira credencial é datada de 1º de outubro de 1883, da Conferência de Michigan. O segundo é de 27 de setembro de 1885, da Conferência de Michigan. O terceiro é de 6 de dezembro de 1885, da Associação Geral. Nessa credencial, a palavra “ordenado” foi riscada. O quarto é de 27 de dezembro de 1887, da Associação Geral. O quinto é datado de 7 de março de 1899, da Associação Geral. O sexto é de 14 de junho de 1909, da Associação Geral. O sétimo é datado de 12 de junho de 1913, da Associação Geral.

 

E. Declaração da família de Ellen G. White
Em uma carta de 17 de novembro de 1935, Dores E. Robinson respondeu em nome de W. C. White (filho de Ellen White e sogro de Robinson) em resposta a uma pergunta sobre as credenciais ministeriais de Ellen White. Ele escreveu: “[W. C. White] me diz que a irmã White nunca foi ordenada, que ela nunca batizou, nem nunca deu a ordenação a outras pessoas”.

Resumindo…
De 1871 até sua morte em 1915, Ellen White recebeu credenciais ministeriais. De 1871 a 1887, ela foi credenciada pela Conferência de Michigan e, de 1884 até sua morte, foi credenciada como Ministra da Associação Geral. Em uma das credenciais (1885), a palavra “ordenado” é riscada. (No Anuário de 1888, ela também foi listada entre os ministros da Califórnia.) Ao longo dos anos, seu nome foi listado junto com ministros ordenados em vez de licenciados, embora sua folha de informações biográficas e o testemunho de sua família indiquem que ela não recebeu ordenação das mãos dos oficiais da igreja.

 
Compilado pelo Ellen G. White Estate, Inc. – Outubro de 2012 – Atualizado em junho de 2018. 
Comentário de Daniel Silveira: mais importanto do que está escrito em papéis, é saber se ela exercia as funções de um ministro ordenado. A resposta está evidente: não. Não há qualquer registro de Ellen G. White ter oficiado um casamento ou realizado um batismo.
 
Assim, cai por terra o argumento utilizado por alguns defensores da ordenação de mulher no hemisfério norte. Se a profetisa não aceita ser ordenada, que mulher o pode ser?
WhatsApp chat